02 agosto 2018

Fé, esperança e vendas

Era final de ano e todos estavam correndo que nem doidos atrás de fechar negócios e cumprir as
metas. Disso dependiam bônus, salários variáveis, viagens de celebração e o escambau a quatro. Foi
quando me deparei com uma jovem funcionária na saída da empresa, que me perguntou: “Você está indo falar agora com o cliente? Enquanto você vai, eu e as meninas vamos à igreja, rezar”.

Sim, estava. E era um negócio importante para aquele momento: algo em torno de uns dois milhões de dólares com um banco internacional, envolvendo diversas áreas da empresa na qual trabalhava. Preciso confessar que na hora – e durante muitos anos depois – não dei qualquer importância ao gesto daquela funcionária. A igreja ficava, e ainda fica, bem ao lado do prédio no qual ralei por um bom tempo e só agora, depois de mais de duas décadas, me dei conta de que nunca entrei lá. 

O fato é que mesmo tendo sido doutrinado a rezar antes de dormir e a frequentar as missas todos os domingos quando criança, naquela época, já um trintão, a fé não estava muito presente no meu cotidiano. Havia deixado de rezar, pois sucesso e realizações, para mim, dependiam exclusivamente do meu esforço, preparação, dedicação e foco. Receita que segui durante toda uma vida com relativo êxito. 

Pois é, na minha jornada coloquei de lado ingredientes importantes para qualquer ser humano, como a fé e a esperança. O lado prático, concreto e material simplesmente dominou por um longo período a minha trajetória e somente agora, há uns poucos anos, comecei a me interessar mais por temas como a fé. E não se trata aqui de alardear qualquer vertente religiosa. Falo de um interesse pela compreensão. Nessa busca, procurei ler e pesquisar o quanto pude – e certamente este é meu lado exato e metodológico falando mais alto novamente

Não, não vou ficar aqui definindo o que é fé. Uns dizem que é acreditar; outros que é nunca duvidar, mas você mesmo pode chegar às suas próprias definições, dentro de uma linha de raciocínio que seja mais coerente para você. Por outro lado, quero sim compartilhar um aprendizado que tive: 
Certa vez perguntei para um líder religioso como poderia aumentar a minha fé, visto que me julgo sendo muito precário neste quesito. A resposta foi simples: tendo gratidão!.
Descobri que ser grato por aquilo que temos e por tudo o que acontece em nossas vidas nos dá um baita conforto, uma certeza e tranquilidade muito íntima e intensa. Coisas boas e coisas ruins acontecem a todo o momento, mas nos condicionar a ter gratidão por cada uma delas é um excelente caminho para o aprendizado pessoal. E por que isso importa? Porque estamos nesta caminhada para aprender.

Sabe, sempre insisti em dizer, seja em minhas conversas com clientes, aulas ou no próprio livro que escrevi, que a maior habilidade que um profissional de vendas deve ter – podendo aqui generalizar para qualquer profissão – é querer aprender. Acredito que estamos neste mundo para um grande aprendizado. Vivemos em uma escola gigante, nos confrontando diariamente com a oportunidade de aprender a lidar com nós mesmos e com aqueles que nos rodeiam. Mas nem todos tiram proveito, pois isto exige um “querer”, uma vontade interna que é baseada em nossos valores pessoais e que nos impulsiona a fazer algo. Sem um “querer” não há impulso ou energia propulsora para um verdadeiro aprendizado, para uma mudança e evolução de nosso ser.

Apesar de simples, aprender a ser grato exige diligência mas nos confere uma paciência reconfortante. E talvez seja esse equilíbrio emocional – a certeza de que agindo corretamente, no final, tudo estará bem – que traz maiores chances de sucesso a um profissional que trabalha com as incertezas das reações dos outros, como é o caso do vendedor.

Fé e esperança podem parecer, para muitos, sinônimos. Mas acredito que enquanto a fé se traduz na gratidão pelo presente, a esperança é a felicidade que vem com as possibilidades do futuro. Levante a mão o vendedor que nunca sentiu o coração palpitar ou os olhos brilharem diante de uma nova oportunidade de vendas. E aí está a grande questão que vivemos na atualidade: a realidade dos últimos anos anulou a fé e a esperança de muitos.

Não deixe isso acontecer com você! Tenha gratidão pelo que está acontecendo ou aconteceu, seja algo bom ou ruim. Tenha em mente que você está aprendendo e construa sua própria esperança, concentrando-se em criar suas oportunidades futuras. Manter paciência, boas intenções e foco nos objetivos parecem ser a grande chave para o sucesso em inúmeras profissões.

Em relação ao contrato de dois milhões de dólares com o banco que citei, ele foi fechado. Quanto àquela funcionária que era uma moça de fé vinte anos atrás. Bem, hoje ela é diretora de vendas naquela empresa...

Gostou do texto? Então deixe seu comentário e compartilhe! Vamos construir juntos profissionais com maior qualidade de vida e mais bem-preparados. Conte comigo, pois eu conto com você!

Boas vendas e excelentes negociações!

Renato Romeo
Sócio-Fundador / SaleSolution Desenvolvimento de Vendas

Veja meus artigos também no Linkedin!
 

©2009 VENDAS B2B | Template Blue by TNB